15.11.08



bom dia, meu amor!
bom dia! insiste ela de novo.
— os sonhos cor-de-rosa
são tão ordinários quanto as meninas pálidas —
ao pensar assim, varia o sonho dalva decor,
concorda no azul, talvez.
e no amarelo de sua memória
havia todo desejo branco de ser amada:
verde todo dia, lilás toda noite, verde-água a vida inteira.
bom dia, bom dia!
com toda a doçura vermelha de quem se quer amada,
muito, sempre e de novo.
bom dia! agora em laranja.

ad infinitum

(...ausência de cores...)


3 comentários:

Gusthavo disse...

Fiquei colorido de piche, gracias!

@nA Dundes disse...

e as cores são
ora são
de coração

Beijo,Moça!

Obrigada pela generosa leitura.

Julia disse...

Oi Patita!

adorei seu blog. lindo, lindo. delícias de textos