31.5.09

carta a um filho,

**
de assombro em assombro me encontro
desde que de mim nasceu
um ser espantado de vida
se refugia em mim
e o cordão que nos une é de carne e vibra
latente de sangue de verbo de verso

antes estéril
não posso conceber a fé na alma humana
nem no futuro da vida futura
nem no devir da morte instaurada
nem na virtude utilitária da ética
nem no limite da chuva da lua da estrela
das nuvens dos picos solares

o porvir é esse vir-a-ser de sempre
homem desalinhado, desfiado
mal acabado e
livre do destino dos deuses

parem o mundo num suspiro:

soltem as correntes do carro de apolo
deixem correr seus cavalos de fogo!
eles cruzarão de leste a oeste a galope
e o sol ileso irá pairar no ponto mais alto do céu
e dez mil vezes por dia se cumprirá a profecia

eis que o novo mundo virá
um novo homem surgirá de você
e de mim
e de todos os que aqui resistem
e de todos os que aqui persistem
apesar das guerras
das fábricas de mortos
da escuridão das celas
dos engenhos de corpos

para sacralizar chronos
me esforço em desmoronar
cada segundo de existência
assim a vida seguirá sua rota
lenta e evasiva
despreocupada de ponteiros
o sol sempre de mentira
dirá a mesma hora: é meio-dia

e a morte perseguirá enganada
o vulto que se arrasta
a sombra que acompanha o corpo
e a vida se fará eterna-
mente fugaz o fogo

e aqui jaz
eu, mãeterna
violenta de ventre de terra
estremecida de pavor e erupção
sigo de cova em cova
de berço em berço
vasculho cavernas
eco sussurro germinação

desde que de mim nasceu
um olho d’água
jorra à força riachos que
antes passaram pelas cordas de um coração
e que cheguem ao seu

4 comentários:

ana dundes disse...

Dona Margarida,florida, que linda é a possibilidade de comunicação de almas que se abre com a poesia.

Bela e forte sua canção.

Bom domingo, nublado aqui, pra ti.

Beijo.

patricia mc quade disse...

oi sinháninha!

que bom a sua avuada por aqui.
dias nublados tb são bons para voos de passarinha, e seu canto, e a leveza da pena.

bj

Serpentina EsKARLAte disse...

Tão belo seu poema e incrivelmente capaz de causar todos os efeitos que sente em quem o acolhe que, por um instante, pensei que também eu tivesse um filho.
Sua visita foi uma das melhores surpresas, estou com a alma alegrinha, alegrinha!
Te extraño!
Beso!

patricia mc quade disse...

oi karla,

fiquei feliz em conhecer seu blog.
e admirada com tudo o que escreveu.
já disse, voltarei lá sempre. seu potencial criativo me impressionou.

sobre o poema, hum! que bom que ele te tocou. que bom que ele foi acolhido por vc. às vezes esse ato de escrever traz tanta solidão!!!
saber que alguém o acolhe traz de alguma forma uma companhia.

estou aprendendo estar só.
e percebo que isso é bom :)

te quiero,nena.
cúidate siempre.
besos.